Deveria a meditação fazer parte do programa escolar?

17-05-2019

A meditação é uma técnica ancestral. A prática que tem como objetivo acalmar a mente e permitir um maior conforto com os problemas individuais de cada um, ajuda milhões de pessoas em todo o mundo, mas por norma só é ensinada em idade adulta.

Em Portugal, salvo exceções muito pontuais, como no Agrupamento de Escolas de Valbom e no Agrupamento de Escolas de Marinha Grande, não é prática corrente o ensino desta técnica nas escolas, mas o ensino da arte ligada ao budismo e ao ioga já é ministrada em países como os Estados Unidos, Canadá, Bélgica e Suécia.

A meditação está associada ao bem estar pessoal e à melhoria da qualidade de vida, mas há estudos que indicam que a prática ajuda a atenuar problemas mentais e até prevenir problemas psiquiátricos, como a depressão, diz a Universidade de Harvard.

"O stress e a ansiedade são grandes gatilhos para a depressão e a meditação pode alterar a reação a esses sentimentos. A meditação treina o cérebro a alcançar um foco sustentado e a voltar a atingir esse foco quando pensamentos, emoções e sensações físicas negativas invadem a mente - o que acontece bastante quando uma pessoa se sente stressada ou ansiosa", afirma o Dr. John W. Denninger, diretor de pesquisa no Benson-Henry Institute for Mind Body Medicine, unidade de cuidados de saúde que está associada à Universidade de Harvard.

Em Portugal, salvo exceções muito pontuais, como no Agrupamento de Escolas de Valbom e no Agrupamento de Escolas de Marinha Grande, não é prática corrente o ensino desta técnica nas escolas, mas o ensino da arte ligada ao budismo e ao ioga já é ministrada em países como os Estados Unidos, Canadá, Bélgica e Suécia.


O objetivo da meditação é treinar corpo e mente a viver no momento presente para que possamos apreciar cada momento de forma plena. Segundo os peritos meditar ajuda a fortalecer a capacidade cerebral, incrementando o foco e concentração, o que melhora o processamento de informação nas salas de aula e durante o estudo.

Meditar ajuda também, dizem os defensores, que os jovens e adultos se conheçam melhor, permitindo que os praticantes descubram os seus interesses e avaliar quais são as suas prioridades e compreender melhor a vida e o que os rodeia. Meditar, alegadamente desenvolve o sistema imunológico. Meditar também ajudará nas relações, fazendo que as pessoas, ao aprenderem a viver no momento presente, e ao sentirem mais calma e segurança, tenham melhores relações com a família, amigos e demais.